Artistas & Palestrantes

{empresa_title}

Bernardinho

Formado em Economia, Bernardinho é a personificação da "escola brasileira de vôlei", que detém hoje a supremacia mundial no esporte.

Unanimidade, é aclamado como um dos maiores símbolos de liderança no Brasil.

Como jogador, Bernardinho integrou a chamada "geração de prata", responsável pela popularização do voleibol no Brasil, a partir da conquista do vice-campeonato no Mundial, em 82, e nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 84.

Iniciou sua vitoriosa trajetória como técnico em 88, como assistente de Bebeto de Freitas. Em 94, assumiu o comando da seleção feminina, conquistando o vice-campeonato mundial, no Brasil, o título do Grand-Prix, em 94, a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de Winnipeg-99 e de Santo Domingo 2003, o vice-campeonato da Copa do Mundo, em 1999, e a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Sydney 2000. 

Um resumo de sua participação à frente das seleções brasileiras, nas palavras do próprio Bernardinho:

"Na feminina foram 28 torneios, se não me engano, 27 pódios. Assumi o masculino no segundo semestre de 2000. Desde então, fomos campeões olímpicos, mundiais, penta da Liga, Sul Americano, e ganhamos alguns torneios. É difícil se manter no topo durante todos esses anos."

Com todo esse sucesso, entre viagens, treinos e um troféu e outro, Bernardinho mantém disputada agenda de palestras por todo o Brasil, nas quais aborda temas como estratégia, importância do envolvimento e comprometimento de cada indivíduo no grupo, além de princípios para formação e administração de uma boa equipe.

A partir do conceito de “Roda de Excelência”, em suas palestras Bernardinho também desenvolve os seguintes temas: trabalho em equipe, liderança, motivação, disciplina, concentração, perseverança, comunicação, comportamento, definição de metas e “coaching”.

Em dezembro de 2006, o técnico, empresário, escritor e palestrante Bernardinho lançou o livro "Transformando Suor em Ouro", onde conta a história de sua carreira, desde a época em que ele era levantador da Seleção Brasileira, até a final da Olimpíada de 2004, quando comandou o time que conquistou a medalha de ouro.